amores expresos, blog do ANTÔNIO

Wednesday, May 2, 2007

VIELA

Antes que as enormes torres de vidro brotassem do chão, Xangai era uma cidade ocupada principalmente pelos Nongtangs. O significado literal é viela, mas os Nongtangs são um tipo de moradia que pode ser descrito basicamente como quarteirões cheios de casas geminadas e com ruas internas. Mistura de arquitetura chinesa e ocidental, essa forma de moradia ainda sobrevive por aqui. Às vezes, ao lado de um baita shopping, você entra numa portinha e pronto, está numa vida interiorana, onde velhinhos jogam majong, mulheres lavam roupas, vizinhos conversam.
Os Nongtangs, hoje subdivididos, são moradia de gente pobre, espécie de cortiço, mas na sua origem alguns eram bem chiques. Mao, meu amigo, morou a infância toda em um deles, numa casa em estilo inglês, com lareira, despensa e o escambau. Mao, o presidente, tinha uma casa (secreta) num desses quarteirões mais elegantes da Concessão Francesa. Até o anos 50, 80% da população de Xangai morava dessa forma.
Hoje fui com Wenjian e Helen em dois deles. Wenjian estuda arquitetura e Helen inglês, na faculdade de Tongji. Eles me explicaram que essas construções tradicionais estão com os dias contados. Está tudo vindo abaixo para a construção da nova cidade. Wenjian disse isso com alguma pena. Apesar de serem quase cortiços, esse tipo de construção permite uma espécie de sociabilidade impossível num prédio. Uma versão chinesa de Onde está Wally tinha que incluir um Nongtang. Você vê uma mulher fritando carne de porco ao lado de outra que lava fraldas, enquanto uma velha costura, uns senhores jogam majong, crianças passam correndo e gatos e galinhas podem ser vistos vivendo em aparente harmonia. Por todo lado há uma quantidade absurda de objetos antigos que você não sabe bem se foram abandonados ou se ainda servem para algo. (Aliás, a quantidade de cacarecos aqui em Xangai é impressionante. Por todo o canto há coisas: um banco de bicicleta, um motor de sei lá o que, bottons do Mao sobre uma toalha, um computador sendo consertado por um sujeito acocorado...).
Saindo do Nongtang roots, onde vimos “a vida como ela é” (ou era), fomos para Xiantiandi (novo mundo). O governo tirou os moradores de lá, reformou tudo e transformou em lojas e restaurantes para estrangeiros. Assim como o Pelourinho, em Salvador, La Boca, em Buenos Aires e provavelmente muitos outros lugares ao redor do mundo. Um pouco da “cara local”, sem nenhum morador local e uma fila de alemães e americanos que viajaram vinte horas para tomar um sorvete Haagen Daz e comprar uma jaqueta Tommy Hilfinger do outro lado do mundo. Vai entender.
Talvez Xiantiandi seja, em poucos anos, o único resquício do que já foi a cara da cidade.

0 Comments:

Post a Comment

Subscribe to Post Comments [Atom]

Links to this post:

Create a Link

<< Home